Tireoide e Nutrição

A função da tireoide e a importância da nutrição

A tireoide é uma pequena glândula endócrina localizada no pescoço e produz dois importantes hormônios: cerca de 93% é o T4, a forma inativa, e cerca de 7% é o T3, a forma ativa. O T4, fabricado na tireoide, é posteriormente convertido em T3 no fígado. Muitas questões alimentares, assim como fatores relacionados ao estilo de vida e ao ambiente, afetam esse processo.

A tireoide faz parte do sistema endócrino, ou hormonal. O principal papel do hormônio da tireoide é estimular o metabolismo, isso afeta quase todas as funções orgânicas. Por esse motivo pode causar tantos sintomas diferentes. Hormônios da interage, e conversa, com todos os outros hormônios no organismo, como a insulina, o cortisol e os hormônios sexuais.

A produção e a liberação dos hormônios tireoidianos são reguladas por um sistema de feedback no cérebro, o hipotálamo e as glândulas pituitárias, que produz o TSH hormônio que libera a tireipropina, e o TSH hormônio que estimula a tireóide, respectivamente.

Quando tudo funciona da maneira certa, o organismo fabrica o que é necessário, e o T4 é convertido em T3. O T3 age sobre receptores especiais como a família PPAR, que já é mencionei, no núcleo da célula que enviam mensagens para o DNA ativar o metabolismo, aumentar a queima de gordura nas mitocôndrias e, de modo geral, fazer com que cada sistema do organismo trabalho na velocidade certa.

É por isso que o T3 reduz o colesterol, melhora a memória, mantém o peso saudável, promove o crescimento em caso de queda de cabelo, alivia dores musculares e a constipação e até a cura a infertilidade e alguns pacientes.

Quando produzimos muito pouco T3 ou quando o T4 não é convertido em T3 da forma apropriada, todo nosso sistema enguiça. O metabolismo e as mitocôndrias não recebe os sinais apropriados, engordamos apresentamos os sintomas que descrevi. Além disso, podemos ter mais inflamação, desenvolver outros problemas nos níveis de insulina e metabolizar o açúcar no sangue com mais facilidade, o que compromete ainda mais a nossa saúde e nossa é capacidade de emagrecer.

Um estudo mostrou que o hipotiroidismo subclínico, Isto é, aquela que praticamente não é detectado nos exames clínicos de rotina eleva não só os níveis de proteína C reativa como também os de insulina, indicadores adicionais de que a estabilidade da tireoide pode ter um forte Impacto sobre a saúde.

Isso não causaria tanta preocupação se as doenças da tireoide pudessem ser logo detectadas e tratadas. A questão é que elas não são. O hipotireoidismo nome que se dá a produção de pouco hormônio da tireoide, é um problema de saúde que muitas vezes não é diagnosticado.